terça-feira, 27 de dezembro de 2011

emigração

O nosso prezado governo sugeriu aos mais jovens que emigrassem, pois eu também deixo aqui um conselho que ajudaria muita gente, "sugiro ao governo que emigre, para bem longe de preferência e já agora que morram por lá"
PS. Já agora, levem também os vossos antecessores.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

CHOCOLATE AMARGO


The Dark Side of Chocolate é um documentário sobre alegações feitas acerca do tráfico de crianças e trabalho infantil, pela indústria internacional do chocolate.
«Enquanto apreciamos o doce sabor do chocolate, a realidade é completamente diferente para as crianças africanas.»
Consumidores de chocolate por todo o mundo ficaram escandalizados em 2001, ao descobrir que a escravatura, o trabalho infantil e outros abusos, estavam em uso nas roças de cacau da Costa do Marfim, país onde se produz quase metade do cacau para todo o mundo.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

PORQUE RECORDAR É VIVER

GASTOS DO MINISTÉRIO DA DEFESA COM O PAULO PORTAS
As compras do Paulinho das feiras enquanto ministro da defesa:
€ 1.200.000.000.00 (mil e duzentos milhões) em submarinos,
€ 403.000.000.00 em helicóptros (dos 12 adquiridos 6 nunca levantaram do chão por falta de peças,
€ 516.000.000.00 em viaturas blindadas,
€ 46.000.000.00 em torpedos,
€ 174.000.000.00 na modernização dos F16,
€ 460.000.000.00 em aeronaves C-295,
€ 147.000.000.00 na modernização das aeronaves P-3C,
TOTAL: 2.956.000.000.00 (dois mil novecentos e cinquenta e seis milhões de euros)

Já agora, quem assinou estas compras???
foram estes senhores: Dr castro Caldas, Dr Paulo Portas, Dr Pina Moura, Dr Augusto Mateus, Dr Carlos Tavares, Dr Manuel Pinho, Eng Antonio Guterres, Dr Durão Barroso, Eng José Socraste.

Posto isto; é facil perceber porque só o bloco e o partido comunista tocam nestas feridas.

A ponte Vasco da Gama custou 897 milhoes menos de um terço do que estes filhos-da-puta andaram a estoirar em "pistolinhas".

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Saúde à Venda




Nos países em vias de desenvolvimento existem dificuldades para aceder aos medicamentos essenciais. Todos os anos, só no hemisfério sul, morrem quinze milhões de pessoas devido a doenças que seriam facilmente curáveis. Isto representa o arrepiante número de 40.000 perdas diárias. Este documentário faz uma longa viagem pelos meandros da indústria farmacêutica, sob as perspectivas económica, política, médica e social. O mercado farmacêutico mundial está dominado pelo chamado Big-Pharma, um conglomerado com cerca de 10 empresas farmacêuticas com sede nos Estados Unidos ou na Europa. Graças aos Acordos ADPIC, criados, em 1995, pela Organização Mundial do Comércio, os medicamentos são tratados como qualquer outra mercadoria e as empresas farmacêuticas que possuem a maioria das patentes mundiais podem agir como autênticos monopólios.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

HOME. O mundo é a nossa casa

Em 200 mil anos na Terra, a Humanidade tem perturbado o equilíbrio do planeta, estabelecido por quase 4 biliões de anos de evolução. O preço a pagar é alto, mas é tarde demais para ser pessimista: a Humanidade tem apenas 10 anos para inverter esta tendência e tornar-se consciente da extensão total da destruição da Terra e alterar os seus modelos de consumo.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ai Portugal, Portugal

video

ESTA É A HISTÓRIA DE PORTUGAL DOS ÚLTIMOS 40 ANOS...

AS CRIANÇAS DE LENINGRADSKY



Há cerca de 30.000 crianças desalojadas em Moscovo. Dormem em caixotes do lixo, estações do metro, entre as tubagens do abastecimento de água quente ou nos próprios esgotos. Muitas destas crianças inalam cola com a esperança de conter a fome e escapar ao violento mundo que os rodeia. Este documentário mostra a dura realidade de um grupo de crianças que têm o seu “lar” na estação de comboios de Leningradsky, em Moscovo. Para sobreviver vêem-se obrigados a mendigar, roubar e mesmo a prostituírem-se. Através dos seus relatos, compreenderemos a esgotante crise que a Rússia enfrenta, um país onde abunda a povoação em deploráveis condições de vida, e que, além disso, deve fazer frente à brutalidade policial. Apesar de tudo, muitos menores consideram que a vida nas ruas é uma alternativa melhor à que já experimentaram, inclusive nas suas casas. Por isso, todos os anos 100.000 menores abandonam as suas casas para viver nas ruas de Moscovo.